Mato Grosso contabiliza 86 mortes em confronto com forças de segurança em 4 meses

Mato Grosso contabiliza 86 mortes em confronto com forças de segurança em 4 meses
Crédito: Secom-MT

De janeiro a maio deste ano, Mato Grosso registrou 86 mortes de suspeitos em confronto com as forças de segurança do Estado. No mesmo período de 2023, foram 87, ou seja, apenas uma a mais. Os dados são da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp).

De acordo com o levantamento, 2023 terminou com 223 mortos por intervenção de agentes do Estado e aumentou mais de 104% em comparação com as 109 mortes registradas de janeiro a dezembro de 2022.

No entanto, apesar de o número de mortes em confronto em 2024 ser inferior aos mesmo período no ano passado, os conflitos se intensificaram depois do assassinato do sargento da Polícia Militar Odenil Alves Pedroso, de 47 anos. Ele foi morto no dia 28 de maio, nas proximidades da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Morada do Ouro, em Cuiabá, por um criminoso em uma motocicleta. O suspeito ainda está foragido.

O mês de junho, até o momento, soma 25 mortes em troca de tiros com forças de segurança, conforme balanço noticiado pelo HNT. A guerra urbana junina começou no dia 1º, com a morte de Maicon Rodrigues da Silva, de 27 anos, ao abrir fogo contra policiais militares no bairro Pascoal Ramos, em Cuiabá.

O confronto mais recente foi em São José do Rio Claro (297 km de Cuiabá), no dia 18 de junho. À ocasião, dois criminosos suspeitos de decapitar uma mulher foram baleados pelas forças de segurança.

Já o maior número de mortes em confronto neste mês aconteceu na noite de 10 de junho, em Tangará da Serra (240 km da Capital). Na cidade, quatro membros do Comando Vermelho que sequestraram trabalhadores foram baleados em uma troca de tiros com a PM. Um dos criminosos, inclusive, tinha 22 passagens por homicídio.

(HNT)

Astrogildo Aécio Nunes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posso ajudar?